Concurso Sabores de Lavras beneficiou cozinheiros lavrenses

O Concurso Sabores de Lavras, promovido pela Secretaria Municipal de Esportes, Lazer, Turismo e Cultura (SELTC), beneficiou vários cozinheiros participantes da competição na cidade. Muitos deles passaram a colher frutos positivos do trabalho.


Realizado em agosto, o evento integrou a programação da 13ª edição da Mostra Cultural e a 8ª Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. A proposta do concurso foi resgatar e valorizar as tradições culinárias cultivadas no município.


Aluna do Curso de Gastronomia do Centro Universitário de Lavras (Unilavras), Antonia Aparecida Canestre ficou em primeiro lugar na categoria broa de fubá. Depois de participar do concurso, ela viu crescer o número de pedidos de compras do produto.


A produção da broa no momento é feita de forma artesanal e vendida de acordo com a demanda dos pedidos. Ela afirmou que pretende abrir seu próprio negócio para comercializar a broa de fubá após finalizar o curso.


Foi uma coisa muito boa. O concurso ajudou no reconhecimento do meu trabalho por parte do público. Quando você trabalha com amor, as pessoas reconhecem o valor do seu produto”, disse.


O ganhador na categoria doce de leite, Gustavo Bessa também destaca os benefícios alcançados pela proposta. “Foi importante participar do concurso. Pretendo abrir meu próprio negócio e participar de uma nova edição do concurso”.



O participante Julyano Caldeira Pereira ganhou o primeiro lugar na categoria pão de queijo com uma receita de família. Antes de participar do evento, o sabor da iguaria era conhecido somente por amigos e familiares.


A receita do pão de queijo ele não conta, mas afirma que um dos segredos é o queijo, que é curado de forma manual por 60 dias em sua casa.

Tive um retorno muito positivo nas redes sociais e também no dia da degustação dos pratos na Mostra Cultural”, contou o também aluno do curso de Gastronomia do Unilavras.


Ganhadora da categoria feijão tropeiro, Julia Barbosa se surpreendeu com o resultado da premiação, visto que só preparava o prato para sua família.


O sucesso foi tanto, que ela precisou passar a comercializar o produto sob encomenda. No momento, ela trabalha para abrir seu próprio negócio na cidade.


Participar do concurso foi um momento muito especial para mim. Foi gratificante ter mostrado um pouco do que meu feijão tropeiro representa: a mistura dos bons sentimentos mineiros, os causos, as prosas e os encontros. Espero poder participar de mais momentos como este!”, finalizou.